Dicas de Alimentação e Nutrição
Dicas de Alimentação e Nutrição
Alimentos Contaminados por Agrotóxicos, os Perigos de uma Ameaça Invisível
Editoria de Saúde - Revisado: 09 de Outubro de 2016
É importante que você lembre-se sempre de que, na maioria das vezes, o produtor quer dinheiro no bolso, e acredite, não está nem um pouco preocupado com a saúde de quem consome aquilo que produz...
"Uma mudança cuja intenção seja melhorar a qualidade de vida contempla em primeiro lugar uma radical reforma nos hábitos alimentares..."

Mais informações sobre os novos dados levantados entre 2011 e 2012

Produto Amostras ( % )
Abacaxi Não Informado. 41,0
Abobrinha 229 48,0
Alface 240 47,0
Arroz Não Informado. 16,0
Cenoura Não Informado. 33,0
Feijão 245 7,3
Laranja Não Informado. 28,0
Maçã Não Informado. 8,0
Mamão Não Informado. 20,0
Milho Não Informado. 33,0
Fubá 208 3,0
Morango 211 59,0
Pepino Não Informado. 42,0
Pimentão 213 89,0
Tomate 246 16,0
Uva 229 29,0

Nessa nova análise, alguns produtos merecem um comentário à parte.

No caso do Pimentão, 89% das amostras, o equivalente a 190 das 213 amostras estudadas, estavam altamente contaminadas com venenos químicos. Destas, 84% eram de pesticidas não autorizados para esse tipo de cultura, enquanto que 20 agrotóxicos diferentes – desconhecidos mesmo pelos fiscais –, também foram detectados, sendo 17 inseticidas e 3 fungicidas.

No morango, das 211 amostras, 119 ou 59% do total estavam contaminadas à níveis absurdos, e foram encontrados 39 inseticidas e fungicidas de uso estritamente proibido, ou mesmo variedades banidas.

Outro caso que merece atenção é a cultura da Abobrinha, onde 110 ou 48% das 229 amostras analisadas estavam encharcadas por 18 tipos de agrotóxicos distintos.

Veja na tabela o resultado desse último censo. Embora as amostras analisadas tenham sido maiores que no levantamento anterior, no quadro, alguns números aparecem como "Não Informados."

Então, Que Cuidados Devemos Ter?

A ingestão cotidiana de agrotóxico, já que todos atuam de forma cumulativa no organismo, está associada ao surgimento, agora já comprovado, de doenças crônicas não transmissíveis, como desregulação endócrina, quadros degenerativos, alergias graves, outras patologias crônicas e Câncer.

Para reduzir o consumo de agrotóxicos em alimentos o consumidor deve optar por produtos com origem identificada, o que aumenta o comprometimento dos produtores em relação à qualidade dos alimentos com adoção de boas práticas agrícolas, ou então deverão considerar a escolha de produtos de origem Orgânicos.

Fora isso, O Que mais podemos Fazer?

Como não temos meios para rastrear a origem daquilo que consumimos, alguns cuidados devem ser tomados. Os procedimentos de lavagem e retirada de cascas e folhas externas de verduras também ajudam na redução dos resíduos de agrotóxicos e eliminação de microorganismos resistentes.

Em primeiro lugar, o alimento NÃO deve ser lavado logo que chega do supermercado. Ocorre que, na temperatura ambiente, o alimento tende a absorver a água da lavagem, já que o líquido está na mesma temperatura. Trata-se de um fenômeno físico chamado Uptake, e isso acaba levando o veneno que estava na superfície ou casca para o interior do vegetal.

A melhor forma é deixá-lo por duas horas na geladeira, acondicionados em recipientes fechados na parte baixa, do mesmo jeito que chegaram do supermercado ou feira, e só depois disso proceder a lavagem em água corrente. Para completar a limpeza, dilua uma colher de sopa de água sanitária para cada litro de água. Deixe de molho, aguarde cerca de 5 minutos, enxágüe e pronto. O Vinagre também pode ser usado para matar o resto dos microorganismos, mas, usando a água sanitária já basta.

Não esqueça de retirar aquelas partes cheias de dobras, onde o veneno se acumula e não dá para lavar. Alimentos com a casca comprometida ou mutilados, deverão ser evitados, uma vez que o veneno já penetrou na parte interna, ou polpa.

As folhas, como alface, deverão ficar de molho na solução acima por 30 minutos. Depois as folhas deverão passar pelo enxágue com água filtrada. Quando as folhas estiverem secas, a alface deve ser guardada em recipiente com tampa, e levada ao refrigerador. Tomates e batatas deverão ficar fora da geladeira para que ocorra a degradação dos pesticidas.

Transformando Alimentos Contaminados em Orgânicos

Você sabia que isso é possível? Pois bem, vejamos como.

Compre na farmácia Tintura de Iodo à 2% e proceda da seguinte forma: "Para cada litro de água misture aproximadamente 5ml da solução. Depois coloque dentro dessa água os legumes que deseja descontaminar."

Deixe em local protegido da Luz por aproximadamente 1 hora. Feito isso, basta enxaguar e está pronto, e você terá em mãos alimentos com jeito de Orgânicos, livre de qualquer tipo de contaminação.

Conclusão

Entretanto, caso deseje simplificar sua vida, prefira sempre alimentos Orgânicos de procedência conhecida e confiável.

Observação Importante...

O site não se presta a fazer o papel do seu Médico ou Nutrólogo, nem de prescrever medicações de qualquer natureza para qualquer tipo de patologia, mas apenas de servir como fonte de referência para sua informação pessoal.

Editoria de Saúde e Educação do Site Mundo Simples.
Email: mundosimples@mundosimples.com.br

Bibliografia de apoio sobre alimentos contaminados:

Anvisa - Agência Nacional de Vigilância Sanitária
http://www.anvisa.gov.br

Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos - Anvisa

Dr. Lair Ribeiro - Vídeo
Como Limpar Alimentos com Agrotóxicos - Vídeo - posicionar em: 40:10
http://youtu.be/Xo_UUsdpte4

Anvisa - Lista de Alimentos Contaminados - Vídeo
http://www.youtube.com/embed/p68K7QVSZc0

Nota de Copyright ©
Proibida a reprodução para fins comerciais sem a autorização expressa do autor ou site.

Outras Leituras que Recomendamos

Outras Sugestões - Dicas de Saúde

Teste, Será que você tem Déficit de Atenção?

Outras Sugestões de Leitura do mesmo Tema...